segunda-feira, 13 de julho de 2009

Love...

Love is a change game...it’s a mystery or a mistake?
Amor é entrega e renúncia, você se entrega, mergulha e renuncia aos seus medos pessoais de fracasso (já que eles sempre nos acompanham mesmo). Pois não há como amar de fato achando que na próxima esquina você vai estragar tudo por ser você de verdade. Acho que temos de ser quem somos pois o amor é aceitação: olhamos para o outro tendo a consciência de quem esta pessoa é de fato e de seus defeitos e qualidades e a aceitamos integralmente.
Mas tem uma parte que é difícil, não ter expectativas...sim pois ficar com a cabeça no futuro tira o aproveitamento dos momentos presentes que é o que devemos nos ater. Temos de viver esse agora, esse hoje que é todo nosso e deixar o amanhã pra amanhã. Sem pressão... apenas deixando acontecer. Se vai ser bom a amanhã? Que importa? Não está sendo bom hoje? ...
É, todos temos nossos sonhos, construímos nossos castelos mentais e presumimos todo um desenrolar dos fatos, mas isso só acontece quando deixamos as coisas seguirem seus curso, seu fluxo e tudo, no fim, acaba se encaixando. Mesmo que a gente não entenda de súbito, depois a gente acaba entendendo. A vida nos confunde e tempos mais tarde nos mostra a explicação.
Acho que podemos nos arrepender de não ter deixado as coisas acontecerem, de não ter vivido, não ter tentado e ter sido escravo do medo. Mas quanto a viver, disso não pode haver arrependimentos...pois se tentou, houve um movimento e algo disso a gente sempre leva com a gente – mesmo que inicialmente só a dor lascinante da perda.
Fico me perguntando, por que falamos tanto de amor? É que amor é combustível para as combustões da vida e suas conseqüências. O amor ou a falta dele nos motivam a falar, escrever, cantar, sonhar, agir, chorar, ler, procurar, observar... Quantas vezes amaremos alguém? Poucas, muitas, quem sabe? Mas o que sei é que há pessoas que a gente ama com toda a alma e todo o corpo, que nos despertam sensações tão únicas que vamos ao inferno por elas. E vale a pena...como vale! Melhor que isso é se é retribuído e a pessoa te diz que te quer, que te ama e que vai sofrer se você partir...ah! porque tão bom quanto amar é saber que é amado.

2 comentários:

O Evangelho disse...

Love is all we need.

Você escreve muito bem. Vou acompanhar! Assinei o tuiter também ;)

ingames disse...

Belíssimo texto, o amor é tudo.